[cle1: REDIRECTION_DANS Lang:PT] [cle1: SECONDES Lang:PT]

KRIS MEEKE LEVA O CITROËN C3 WRC A MAIS UMA VITÓRIA NO RALI DA ESPANHA

A dupla Kris Meeke/ Paul Nagle venceu o Rali RACC Catalunha – Rali da Espanha e deu ao Citroën C3 WRC a segunda vitória na temporada 2017 do Campeonato Mundial de Rali. 

O sexto lugar de Stéphane Lefebvre/ Gabin Moreau deu à equipe Citroën Total Abu Dhabi WRT o melhor resultado por fabricantes no evento.

Meeke/ Nagle iniciaram o desafio do Rali da Espanha estabelecendo o segundo melhor tempo no shakedown realizado na quinta-feira de manhã. Único evento de superfície mista da temporada, o Rali RACC Catalunha – Rali da Espanha apresentou um shakedown em cascalho e asfalto. O estágio de 2,97 km de extensão foi realizado ao lado do Parque de serviço PortAventura.

Em sua segunda passagem, Kris Meeke estabeleceu um tempo que continuaria invicto durante grande parte da manhã: 2:05.5. Ainda que o shakedown não seja particularmente representativo do restante do rali, eles decidiram manter as três passagens obrigatórias.

Depois de tentar várias opções de regulagem, Stéphane Lefebvre completou uma quarta passagem para confirmar sua abordagem. Como os organizadores haviam acabado de umedecer o piso com água antes de sua saída, ele não conseguiu melhorar, mas encarou seu desempenho de maneira positiva.

No terceiro C3 WRC do Citroën Total Abu Dhabi WRT, Khalid Al Qassimi também completou quatro passagens, consistentemente melhorando seus tempos. O dia terminou com uma largada cerimonial, realizada às 20h nas ruas de Salou.

A etapa de abertura de sexta-feira foi realizada em seis estágios cobrindo uma distância competitiva de 116 km. O rali começou com uma intensa batalha pela vitória entre meia dúzia de duplas. Kris Meeke/Paul Nagle estava entre elas, terminando o dia em terceiro lugar, apenas três segundos atrás dos líderes. Enquanto isso, Stéphane Lefebvre e Gabin Moreau ganharam confiança à medida que o dia avançava, terminando a etapa na nona posição geral.

Disputada predominantemente em piso de cascalho, a etapa de abertura do Rali de Espanha foi composta por duas passagens em um ciclo de três etapas: Caseres, Bot e o traiçoeiro estágio de Terra Alta, com 39 km de extensão, incluindo um trecho de asfalto que se mostrou especialmente desgastante para os pneus.

Na verdade, para o ciclo da manhã, a seleção de pneus foi o tema predominante no parque de serviços. No campo da Citroën, as duplas escolheram uma mistura de quatro pneus Michelin Latitude Cross duplos e suaves.

Quarto colocado no SS1, Kris Meeke mostrou sua mão – e ritmo – ao estabelecer o tempo mais rápido no Bot 1. O ataque do britânico foi diminuído em Terra Alta: ao cuidar dos pneus no calor, ele teve que conceder alguns segundos para evitar ter um pneu estourado. No serviço do meio-dia, Kris ficou em quinto lugar, apenas 7,6 segundos atrás do líder.

A manhã de Stéphane Lefebvre foi um pouco mais difícil. Faltando experiência neste evento, o jovem francês lutou para encontrar a confiança necessária. Quando voltou para Salou para o serviço do meio-dia, estava na décima primeira posição, 40 s atrás dos líderes.

Para a segunda passagem nos estágios, todas as equipes optaram por usar os pneus duros. As duplas dos Citroën C3 WRC adotaram uma estratégia agressiva, levando apenas um pneu de reposição.

Depois de perder alguns segundos com uma rodada em Caseres 2, Kris Meeke conseguiu outra vitória no Bot 2. Gerenciando perfeitamente o desgaste de seus pneus em Terra Alta 2, ele estabeleceu o segundo tempo mais rápido, apenas 8 décimos acima do melhor tempo do estágio. No final da primeira etapa do rali, o C3 WRC número 7 ocupava o terceiro lugar, 3 segundos atrás do líder, Andreas Mikkelsen.

Esta segunda passagem também foi positiva para Stéphane Lefebvre, que produziu um bom desempenho no Bot 2 ao estabelecer o quarto tempo mais rápido. Reduzindo a distância para os principais pilotos em todos os estágios, ele subiu para a nona posição.

No final de um dia sem problemas, Khalid Al Qassimi terminou na 19ª posição no terceiro Citroën C3 WRC. Para o piloto de Abu Dhabi e seus companheiros de equipe, havia chegado o momento de mudar para o “modo asfalto”. Após um longo serviço de 75 minutos, durante o qual os mecânicos converteram os carros para a configuração de asfalto, o restante do rali seria realizado no asfalto liso e fluido das estradas da Catalunha.

No sábado, os carros partiram de Salou às 6h45 para o dia mais longo do rali. A etapa seria composta de sete estágios, cobrindo uma distância total de 121,86 km. Depois de uma noite curta para os mecânicos, os Citroën C3 WRC saíram do parque fechado na manhã de sábado na configuração de asfalto. A etapa apresentou duas partes, cada uma tendo estágios em El Montmell, El Pont d'Armentera e Savallà. No final da tarde, a agenda foi completada com uma passagem no estágio super-especial de Salou.

Competindo com pneus de composto duro Michelin Pilot Sport, Kris Meeke partiu imediatamente para o ataque na etapa de abertura do dia. Apesar de ter pego uma breve chuva durante algumas centenas de metros, o norte-irlandês alcançou a vitória no estágio e, com ela, assumiu a liderança geral do rali, um punhado de segundos à frente de Ogier, Mikkelsen, Sordo, Tänake Neuville.

Sendo outra vez mais rápido que seus rivais diretos no SS8, o piloto do C3 WRC número 7 ampliou a liderança para mais de quinze segundos. Ele foi capaz até de abrandar o ritmo nas seções mais complicadas no estágio final da manhã.

Igualmente sentindo-se muito confortável ao volante de seu C3 WRC, Stéphane Lefebvre lutou para realmente avançar de posição nas seções mais rápidas. Superado por Lappi, ele ocupou a décima posição no serviço de meio percurso, mas sentiu-se otimista a respeito da segunda passagem.

Consistentemente se mantendo a alguns décimos de segundo dos tempos dos vencedores do estágio, Kris Meeke controlou a corrida na liderança, enquanto o grupo de perseguidores se exauriu. No final da SS12, o vencedor do Rally do México deste ano ainda manteve uma vantagem de 14 segundos sobre Ogier e Tänak. Completando seu dia perfeito nas ruas de Salou, Kris Meeke voltou para o parque de serviço liderando o rali com treze segundos sobre Sébastien Ogier.

Apesar de lutar com problemas de eficiência de freio no SS11, Stéphane Lefebvre conseguiu manter-se longe de encrencas. Ele subiu para o oitavo lugar, novamente reduzindo a distância para os pilotos mais experientes.

Primeiro na estrada durante a segunda etapa, Khalid Al Qassimi também se satisfez ao volante do Citroën C3 WRC, que ele estava dirigindo na configuração de asfalto pela primeira vez. O piloto de Abu Dhabi terminou a etapa em 18º lugar.

A terceira e última etapa teve seis etapas, com uma distância competitiva de 74 km. O Power Stage, transmitido ao vivo pela televisão, começou às 12h18. As duas passagens em L'Albiol, Riudecanyes e Santa Marina foram disputadas sem assistência. Os pilotos do Citroën Total Abu Dhabi WRT escolheram cinco pneus Michelin Pilot Sport com borracha dura.

Realizada à noite, a primeira etapa foi favorável a Kris Meeke. Sob condições que aprecia particularmente, o britânico registrou mais uma vez o melhor tempo. Nos dois estágios seguintes, Kris aumentou a diferença sobre Sébastien Ogier e Ott Tänak: no final do primeiro ciclo, ele tinha margem de 23s9 sobre o francês.

Aproveitando a experiência do dia anterior, Stéphane Lefebvre aumentou seu nível de pilotagem pressionando Mads Østberg. Os dois rivais assinalaram o mesmo tempo no SS14; depois, Stéphane foi mais rápido nas duas etapas seguintes. Ao mesmo tempo, os abandonos de Lappi e Neuville, causados pelas dificuldades do percurso catalão, permitiram que o jovem subisse para o sexto lugar, 16 s atrás de Østberg!

Stéphane não conseguiria defender suas chances até o fim. A partir do SS17, ele teve problemas hidráulicos, aos quais foi adicionada uma falha no link de rádio no estágio seguinte. A partir daí, ele assegurou o sexto lugar.

Enquanto isso, Kris Meeke continuou seu show, com duas vitórias extras (SS17/18). No Power Stage, ele aliviou o ritmo para não correr riscos. Foi o segundo mais rápido e venceu a prova com 28 segundos de vantagem sobre Sébastien Ogier e 33, sobre Ott Tänak.

Kris Meeke e Paul Nagle obtiveram a segunda vitória do C3 WRC (a primeira foi no México), a quinta em sua carreira (depois de Argentina 2015, Portugal e Finlândia 2016 e México 2017) e... a 98ª da Citroën no Campeonato Mundial de Rali!

Autor de uma corrida regular, Khalid Al Qassimi levou o terceiro Citroën C3 WRC ao final do Rali da Espanha. Cada vez mais à vontade no asfalto, o piloto de Abu Dhabi terminou em 17º lugar.

ENTRE ASPAS

Yves Matton, Diretor da Citroën Racing: "É obviamente uma grande alegria para a Citroën Racing como um todo, seja a equipe operacional ou os funcionários que trabalham nas sombras, no centro técnico de Versailles. Nos últimos meses, todos nós fizemos grandes esforços para melhorar o potencial do Citroën C3 WRC e colocar nossas equipes na melhor posição. Neste fim de semana, Kris e Paul se mostraram fortes na terra, antes de assumir a liderança e dominar no asfalto. É uma vitória da equipe, particularmente bem-sucedida, o que nos permite alcançar uma parte de nossos objetivos de fim de temporada. Parabéns também a Stéphane e Gabin, que completam o resultado geral e permitiram à Citroën Total Abu Dhabi WRT marcar mais pontos do que as outras equipes neste fim de semana".

Kris Meeke: "Este foi um fim de semana excepcional. Desde a nossa vitória no Rally do México, tivemos momentos difíceis, mas recuperamos com trabalho duro. Sabíamos que o carro tinha um desempenho de alto nível no asfalto e acho que confirmamos ontem! Esta vitória demonstra a qualidade do trabalho de toda a equipe e é um tremendo impulso de confiança para o resto da temporada".

Stéphane Lefebvre: "Tentamos atacar e ganhamos um pouco de tempo sobre Mads Østberg no primeiro ciclo. Depois ficou complicado com os problemas hidráulicos e, em seguida, com uma pane na comunicação. Passei, então, a assegurar minha posição e este sexto lugar é satisfatório, dado o meu pequeno conhecimento deste percurso. Este é um resultado que eu coloco em linha com o meu top 5 na Polônia. Pouco a pouco, a experiência me permite progredir e espero confirmar isso no futuro. Parabéns para Kris e Paul por esta nova vitória, é um resultado bom para toda a equipe!”.

Khalid Al Qassimi: "Foi um dia muito bom. Ao longo dos quilôpemtros, gostei mais e mais de conduzir e estou muito satisfeito com o progresso feito pelo Citroën C3 WRC. Mas minha maior alegria vem da vitória de Kris Meeke. Ele fez uma corrida fantástica neste fim de semana, é um ótimo momento para todos nós e um grande orgulho em ver Abu Dhabi em destaque por essas performances”.

RESULTADO

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS
1. Sébastien Ogier – 198 pontos
2. Thierry Neuville – 162
3. Ott Tanak – 159
4. Jari-Matti Latvala – 123
5. Dani Sordo – 94
6. Elfyn Evans – 93
7. Juho Hanninen – 71
8. CRAIG BREEN – 64
9. KRIS MEEKE – 60
10. Hayden Paddon – 55
11. Esapekka Lappi – 49
12. Andreas Mikkelsen – 39
13. STEPHANE LEFEBVRE – 30
14. Teemu Suninen – 29
15. Mads Ostberg – 29

CAMPEONATO MUNDIAL DE CONSTRUTORES
1. M-Sport WRT – 358 pontos
2. Hyundai Motorsport – 275
3. Toyota Gazoo Racing WRT – 228
4. Citroën Total Abu Dhabi WRT – 202

Top