[cle1: REDIRECTION_DANS Lang:PT] [cle1: SECONDES Lang:PT]

RALI DA AUSTRÁLIA ENCERRA A TEMPORADA 2017 DO CAMPEONATO MUNDIAL DE RALI

Após bom início, equipe Citroën Total Abu Dhabi WRT enfrenta problemas na Austrália, última etapa do Campeonato Mundial de Rali. As duplas Stéphane Lefebvre/ Gabin Moreau e Craig Breen/ Scott Martin abandonaram a prova no último dia. Kris Meeke/ Paul Nagle, que tiveram problemas nas etapas iniciais, voltaram à competição sob as regras Rally2 e terminaram na sétima colocação.

 

O shakedown do Rali da Austrália foi muito disputado e mostrou as equipes da Citroën Total Abu Dhabi WRT em excelente forma. Com 5,02 km de extensão, ele foi extremamente representativo de todas as dificuldades do percurso e incorporou grandes trechos da estrada usada para o Wedding Bells Power Stage, mesmo local do último trecho do rali (e da temporada 2017), no início da tarde de domingo. Como os testes privados são proibidos fora da Europa, a sessão foi particularmente importante para completar os preparativos para a etapa final da competição.
No início da manhã, Kris Meeke completou as três passagens obrigatórias. Ele obteve o tempo mais rápido da sessão nesse ponto, com 2:57.2. Depois de retornar ao serviço, Meeke completou mais duas passagens para experimentar novas opções de acerto do carro.
As outras duplas da Citroën Total Abu Dhabi WRT demoraram um pouco mais para encontrar seu ritmo. As primeiras passagens de Craig Breen e Stéphane Lefebvre foram interrompidas por problemas de intercomunicação para o irlandês e por uma rodada do francês. Eles voltaram ao serviço depois de duas passagens e retornaram às estradas da floresta australiana em seguida. Na terceira tentativa, ambos melhoraram e conseguiram exatamente o mesmo tempo!
À medida que mais carros passavam pela estrada, a traçado de corrida ficava mais limpo e os tempos caiam. Em sua quarta e última passagem, Stéphane Lefebvre pulou para o topo da folha de tempos! Contudo, Thierry Neuville estabeleceu um novo melhor tempo e Lefebvre terminou o shakedown na segunda posição. Kris Meeke encerrou a sessão com o quinto melhor tempo, enquanto Craig Breen ficou com o sexto, após completar quatro passagens.
À tarde, depois do shakedown, os concorrentes se encontraram com fãs no centro de Coffs Harbour para uma sessão de fotografias e autógrafos. Em seguida, aconteceu a largada cerimonial.
No primeiro dia, as duplas da Citroën Total Abu Dhabi WRT tiveram desempenhos consistentes, cumprindo as expectativas do chefe da equipe, Yves Matton. A disputa começou com um ciclo de três etapas realizado nas florestas ao norte de Coffs Harbour: Pilbara, Eastbank e Sherwood. Para obter a melhor tração possível nas estradas empoeiradas com superfície de cascalho solto, a Citroën optou por correr com pneus Michelin LTX Force de composto macio.
Segundo na SS1 e na SS2, Kris Meeke assumiu a mesma posição na classificação geral, atrás do líder inicial, Andreas Mikkelsen. No estágio seguinte, no entanto, o britânico perdeu importantes segundos depois de sair da pista e andar um trecho fora da estrada. No ponto de meio da perna, o piloto do C3 WRC número 9 permaneceu em segundo lugar, 16,6 s atrás do líder.
Neste mesmo ponto, Craig Breen foi terceiro, apenas 1,1 s atrás do seu colega de equipe. Na sua estreia na Austrália, o irlandês gradualmente encontrou seu ritmo: terminou em sétimo no SS1, em quinto no SS2 e foi terceiro no SS3. O início do rali de Stéphane Lefebvre foi comprometido por um furo de pneu apenas dois quilômetros depois de largar no SS1. O francês seguiu empenhado e conseguiu o segundo tempo mais rápido no SS3. No meio de ponto, ele era o nono na classificação geral, 33,9 s atrás de Mikkelsen.
Para o circuito da tarde, a escolha do pneu mostrou-se mais complicada. Os pilotos da Citroën decidiram correr com quatro pneus rígidos e um macio. Kris Meeke obteve um desempenho consistente e ficou em segundo lugar, mantendo-se próximo de Neuville, que optou por montar pneus macios para o circuito.
Ainda em terceiro lugar depois do SS4, apesar de um dos pneus ter saído do aro da roda, Craig Breen caiu duas posições nos estágios seguintes. Após pequenos erros que levaram à perda do divisor dianteiro e do difusor traseiro, ele teve que lidar com redução de eficiência aerodinâmica em seu C3 WRC.
Assim como na primeira passagem, Stéphane Lefebvre teve um furo de pneu em Pilbara. Sem roda sobressalente, ele precisou dirigir com mais cautela para evitar ter outro pneu furado, o que significaria ter que abandonar. Ele assegurou o nono lugar, a poucos segundos de Ogier.
Após um reagrupamento no parque de serviço, o dia foi concluído com duas passagens no Coffs Harbour Super Special Stage. Thierry Neuville terminou na frente e os C3 WRC terminaram o dia na terceira, quinta e nona posições.
No segundo dia do rali, as equipes da Citroën Total Abu Dhabi WRT tiveram destinos diferentes. Os concorrentes tiveram uma agenda cheia no sábado pela manhã: às 7h18, a primeira equipe partiu para a maratona de Nambucca (48,89 km), antes de abordar Newry (20,87 km) e concluir com uma curta etapa realizada em uma pista de rallycross.
Apesar da substancial distância coberta durante o circuito, a chuva que caíra à noite – e a previsão de mais chuva durante o dia – indicava que a opção mais sensata era recorrer a pneus Michelin LTX Force com compostos macios. Os C3 WRC contaram com dois pneus de reposição durante a manhã.
No final do estágio de Nambucca, havia sentimentos distintos entre os pilotos da Citroën. Embora dissesse estar feliz com seu tempo, Kris Meeke perdeu o terceiro lugar para Latvala. Em sua primeira corrida neste icônico teste de velocidade do WRC, Craig Breen também não conseguiu manter sua posição (caiu para 6ª). Stéphane Lefebvre manteve-se em nono, mas recuou mais de um minuto depois de perder a confiança após rodar no circuito.
No estágio seguinte, Kris Meeke perdeu cerca de dez segundos depois de passar reto em uma junção. Mas, como todos os pilotos, o britânico ganhou uma posição após o abandono do líder da disputa, Andreas Mikkelsen. No ponto intermediário da etapa, Kris era o terceiro colocado na geral, 22 s atrás do líder. Enquanto isso, Craig Breen e Stéphane Lefebvre ficaram em quinto e oitavo lugares.
Após o serviço do meio da etapa, a segunda parte do dia levou as equipes a Welshs Creek e Argents Hill, dois testes de velocidade que compõem a maior parte do estágio de Nambucca. Desta vez, os pilotos da Citroën foram com diferentes opções de pneus: cinco macios para Stéphane Lefebvre e uma mistura de três pneus duros e dois macios para seus companheiros de equipe.
No SS12, Kris Meeke danificou a suspensão de seu C3 WRC ao bater em uma ponte estreita. Depois de tentar em vão realizar reparos, ele foi obrigado a abandonar o rali pelo resto do dia. Como o carro não sofreu nenhum dano irreparável, Meeke se preparou para voltar no dia final sob as regras do Rally2. Craig Breen e Stéphane Lefebvre, portanto, ganharam outra posição: no final da SS13, eles estavam na quarta e sétima colocações, respectivamente.
Depois que a SS14 foi cancelada (uma ponte danificada a tornara insegura), o dia terminou com outras duas passagens no Super Special Stage de Coffs Harbour. Na SS15, Craig compartilhou a vitória do estágio com o líder do rali, Thierry Neuville. Mas a classificação geral manteve-se inalterada e os dois C3 WRC terminaram o dia sem incidentes adicionais.
No terceiro e último dia do Rali da Austrália, fortes chuvas atingiram a região de Coffs Harbour. Para iniciar os procedimentos do dia, as equipes tiveram que completar os estágios de Pilbara Reverse, Bucca e Wedding Bells, ou seja, uma distância competitiva total de 48 km.
Stéphane Lefebvre chegou ao final da SS17 com fortes danos na suspensão traseira esquerda e na roda de seu C3 WRC. O francês saiu de traseira em um trecho de lama e deixou a pista em uma curva, atingindo um toco de árvore que arrancou a roda. Não era possível continuar e Lefebvre foi forçado a abandonar o rali.
Alguns minutos depois, o C3 WRC de Craig Breen apareceu nos monitores como tendo parado na SS18. O irlandês fazia de tudo para manter o quarto lugar, mas ele saiu muito forte de uma curva e capotou o carro. Em menos de quinze minutos, o Citroën Total Abu Dhabi WRT registrou um segundo abandono!
O sol brilhava novamente quando as duplas voltaram para o serviço do meio da etapa. Tendo voltado ao rali com as regras do Rally2 no domingo de manhã, com o objetivo de usar a etapa como um teste em grande escala, Kris Meeke foi oitavo no geral. Na etapa final, ele conseguiu o quinto melhor tempo e subiu para sétimo na classificação.

ENTRE ASPAS
Kris Meeke: "A ideia de hoje era me preparar para 2018. Nessa perspectiva, foi bastante útil que tenha começado a chover, porque pudemos trabalhar em condições onde temos muito espaço para melhorias. Não foi fácil para mim andar forte sem ter nada a ganhar, mas o que aprendemos nesta manhã, sem dúvida, será útil no futuro".

Craig Breen: "Foi um grande acidente. Fazia muito tempo que eu não tinha um desses. Felizmente, o C3 WRC é um carro sólido e as especificações de segurança fizeram seu trabalho perfeitamente. Não tínhamos certeza de terminar em quarto lugar e eu sabia que tinha que andar forte para conter um ataque de Paddon, que teve condições de estrada ligeiramente melhores do que nós. Eu não queria terminar a temporada com outro quinto lugar sem lutar contra isso".

Stéphane Lefebvre: "Obviamente, não é a melhor forma de acabar a temporada. Cometi apenas um erro na primeira etapa, numa curva longa para a direita. As condições eram horríveis, com muita água, que tornava o chão tão escorregadio como gelo em alguns lugares. Fui pego por um trecho escorregadio de lama. O carro saiu de traseira, saiu um pouco da estrada e atingimos um grande toco de árvore. É uma pena e lamento por todos na equipe".

RALI DA AUSTRÁLIA – CLASSIFICAÇÃO FINAL PROVISÓRIA
1. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) 2:35:44.8
2. Tänak / Jarveoja (Ford Fiesta WRC) +22.5
3. Paddon / Marshall (Hyundai i20 WRC) +59.1
4. Ogier / Ingrassia (Ford Fiesta WRC) +2:27.7
5. Evans / Barritt (Ford Fiesta WRC) +3:05.6
6. Lappi / Ferm (Toyota Yaris WRC) +3:49.5
7. Meeke / Nagle (Citroën C3 WRC) +22:58.4
8. Dalton / Allen (Skoda Fabia R5) +24:39.6
9. Quinn / Searcy (Mitsubishi Lancer Evo IX) +25:03.4
10. Herridge / Hill (Subaru Impreza WRX Sti) + 29:52.3

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS
1. Sébastien Ogier – 232 pontos
2. Thierry Neuville – 210
3. Ott Tänak –189
4. Jari-Matti Latvala – 136
5. Elfyn Evans – 128
6. Dani Sordo – 95
7. KRIS MEEKE – 77
8. Hayden Paddon – 74
9. Juho Hänninen – 71
10. CRAIG BREEN – 64
11. Esapekka Lappi – 62
12. Andreas Mikkelsen – 54
13. STEPHANE LEFEBVRE – 30
14. Teemu Suninen – 29
15. Mads Østberg – 29

CAMPEONATO MUNDIAL DE FABRICANTES
1. M-Sport WRT – 428 pontos
2. Hyundai Motorsport – 345
3. Toyota Gazoo Racing WRT – 254
4. Citroën Total Abu Dhabi WRT – 222

Top