[cle1: REDIRECTION_DANS Lang:PT] [cle1: SECONDES Lang:PT]

CITROËN RACING JÁ SE PREPARA PARA O RALI DA POLÔNIA

Após oitavo lugar como melhor colocação na Itália, equipe Citroën Total Abu Dhabi WRT segue determinada na competição. Formação da equipe contará mais uma vez com Andreas Mikkelsen no Rali da Polônia, de 29 de junho a 2 de julho. O norueguês irá competir em Mikolajki ao lado de Craig Breen e Stéphane Lefebvre.

O Rali da Itália, na Sardenha, começou no dia 8 de junho com o estágio de Ittiri. Os carros foram, então, para Olbia, onde passaram a noite em regime de parque fechado. No dia seguinte, a primeira etapa foi composta por quatro estágios, cada um disputado duas vezes, totalizando 125,46 km de competição: Terranova (SS2/SS6), Monte Olia (SS3/SS7), Tula (SS4/SS8) e Tergu-Osilo (SS5/SS9).

Orientados pela ordem de saída e pelas condições dos estágios, os pilotos optaram por combinações variadas de pneus Michelin LTX Force. Meeke e Breen correram com três pneus duros e dois macios, enquanto Mikkelsen escolheu ir com três macios e dois duros.

Na SS2, Kris Meeke passou para a liderança na classificação geral depois de ganhar o estágio. Craig Breen ocupou o quinto lugar, enquanto Andreas Mikkelsen foi o 13º.

A fase seguinte revelou-se fatal para Craig Breen. Ele bateu em uma rocha após um salto, o que danificou sua caixa de câmbio. O irlandês chegou ao final do estágio mesmo com um vazamento de óleo, mas teve que abandonar a prova.

Depois de ceder brevemente a liderança geral para Hänninen, Kris Meeke voltou à ponta na SS4. Porém, tudo mudou quando o C3 WRC número 7 capotou na etapa seguinte. Depois de perder quase sete minutos, o norte-irlandês retornou ao parque de serviço de Alghero. Ao examinar o carro, os comissários constataram que o santantônio havia sido afetado no acidente. Com isso, a equipe não teve escolha: para Kris e Paul, o rali havia acabado.

Oitavo colocados na classificação geral após o serviço da metade da etapa, Andreas Mikkelsen/Anders Jaeger tornaram-se os únicos representantes do Citroën Total Abu Dhabi WRT na prova. Para a segunda fase, eles escolheram seis pneus Michelin LTX Force de composto duro.

Ao longo da tarde, Andreas perdeu tempo quando estancou nas curvas fechadas do circuito. Ele caiu para nono na classificação geral depois de ser ultrapassado por Lappi no SS7, terminando o dia na mesma posição.

No sábado, as duplas da Citroën Total Abu Dhabi WRT conseguiram aquilo que haviam estabelecido para o segundo dia do rali. Craig Breen/Scott Martin ficaram várias vezes entre os cinco primeiros colocados, enquanto Andreas Mikkelsen/Anders Jæger continuaram a melhorar no C3 WRC.

Antes do nascer do sol, o parque de serviço de Alghero estava movimentado, já que os primeiros competidores começaram a chegar às cinco da manhã. Os C3 WRC alinhados na largada deste segundo dia foram conduzidos por Andreas Mikkelsen, nono na geral, e Craig Breen, de volta à prova sob as regras do Rally2.

Com os longos estágios de Monti di Ala e Monte Lerno, esta etapa prometia ser a mais exigente para as tripulações, os carros e os pneus.

Segundo a entrar na estrada, Andreas Mikkelsen teve que lidar com estágios repletos de pó e cascalho, um problema para os primeiros corredores em todos os eventos de pisos de terra. Na tentativa de compensar a sua posição, o norueguês disputou a primeira passagem com pneus Michelin LTX Force macios. Ele tentou configurações diferentes nos estágios da manhã, mas perdeu dois minutos depois de ter um pneu furado em Monte Lerno 1 (SS12).

A manhã de Craig Breen começou bem, com o terceiro tempo mais rápido em Coiluna-Loelle 1 (SS10). Ele então recuou algumas posições enquanto lutava com a dirigibilidade do carro.

Após o serviço da metade da etapa, as duplas partiram em seus Citroën C3 WRC equipados com pneus duros.

Craig Breen produziu mais um bom desempenho em Coiluna-Loelle: na segunda passagem, o irlandês marcou o segundo melhor tempo, apenas um segundo mais lento que o melhor tempo do estágio!

A falta de sorte de Andreas Mikkelsen, contudo, continuou em Monte Lerno, já que o norueguês foi forçado a disputar o estágio apenas com tração traseira devido a um problema no diferencial dianteiro. Ele conseguiu, no entanto, permanecer positivo e ficou satisfeito por ter feito novos progressos na compreensão do C3 WRC.

A curta etapa final do domingo teve apenas quatro estágios, disputados sem período de serviço. Apesar de ser o segundo na ordem de saída, Andreas Mikkelsen confirmou o progresso feito nos dois primeiros dias do rali, estabelecendo alguns tempos encorajadores. Da mesma forma, Craig Breen conseguiu outra vez ficar entre os três primeiros no SS16.

No final do Power Stage, Andreas Mikkelsen e seu co-piloto, Anders Jæger, concluíram seu primeiro rali pela  Citroën Total Abu Dhabi WRT em oitavo lugar. Craig Breen e Scott Martin também chegaram ao fim do rali, marcando alguns pontos extras para o Campeonato Mundial de Fabricantes.

Analisando a sorte da equipe nesta sétima etapa, claramente os resultados variam de uma dupla para outra. "Antes do início, pedimos aos nossos pilotos que chegassem ao fim do rali. Eu não acho que estávamos errados em pensar que, se eles conseguissem fazer isso, acabaríamos com dois carros nas cinco primeiras colocações", afirma Yves Matton, chefe da Citroën Racing. "Infelizmente, Kris não conseguiu adotar o ritmo necessário para ter uma corrida livre de erros. Após as etapas de abertura, sentiu-se confortável no carro e disse que seu ritmo era consistente com os alvos estabelecidos. Mas, infelizmente, não conseguiu mantê-lo".

"No que diz respeito a Craig, sua corrida foi rapidamente interrompida depois que ele foi pego ao aterrissar após um salto", continuou Yves Matton. "Sua falta de conhecimento dos estágios acabou o prejudicando bastante, porque é um ponto complicado que é conhecido pelos pilotos mais experientes neste rali. Dito isto, observamos que seu abandono foi semelhante ao que sofreu na Argentina. Precisamos ver se podemos tornar o carro mais resistente a esse tipo de impacto".

"A abordagem de Andreas foi construtiva e positiva. Após o dia de teste pré-evento, sabíamos que o C3 WRC precisaria ser adaptado ao seu estilo de condução, que não envolve frenagem com o pé esquerdo. Claramente, isso leva tempo e, por isso, este rali tornou-se uma sessão de teste prolongada. Mais do que o resultado real – oitavo na geral – achamos que fizemos um bom trabalho em conjunto. Ele conseguiu identificar os pontos que precisamos trabalhar e alcançar algumas melhorias iniciais ".

FORMAÇÃO REVISADA PARA O RALI DA POLÔNIA


A equipe já está focada no próximo evento: o Rali da Polônia, de 29 de junho a 2 de julho. A equipe Citroën Total Abu Dhabi WRT inscreverá três C3 WRC para Craig Breen/Scott Martin, Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau e Andreas Mikkelsen/Anders Jæger.

"Depois de uma série de resultados decepcionantes, pedimos a Kris Meeke que dê um passo atrás para este próximo rali", explicou Yves Matton, chefe da Citroën Racing. "Kris aceitou que isso seria no melhor interesse da equipe e gostaríamos de agradecer por sua compreensão. Essa interrupção lhe dará a chance de recarregar suas baterias e liberar algumas das pressões antes de se preparar para o Rali da Finlândia. Ele ganhou lá no ano passado, depois de um desempenho perfeito, e por isso esperamos que ele volte mais forte. Ao mesmo tempo, essa mudança na formação significa que podemos continuar trabalhando com Andreas. Essa primeira experiência foi mais como uma sessão de teste do que uma participação competitiva. Um segundo rali lhe dará a chance de usar as coisas que ele já aprendeu para se aproximar dos líderes. Além disso, ele gosta particularmente do Rali da Polônia desde que ganhou esta prova no ano passado ".

"Também continuamos empenhados em apoiar nossos jovens pilotos com Craig Breen e Stéphane Lefebvre, que estarão competindo na próxima etapa", continuou Yves Matton. "Ambos participaram do Rali da Polônia de 2016 e conseguiram bons desempenhos. Eles terão, portanto, uma boa oportunidade para mostrar o que podem fazer. Dito isto, o objetivo principal permanecerá chegar ao fim sem cometer nenhum erro".

Para se preparar para a oitava etapa do WRC, a equipe passará quatro dias realizando testes na Polônia. Andreas Mikkelsen, Craig Breen e Stéphane Lefebvre se revezarão ao volante do C3 WRC. Enquanto isso, Kris Meeke/Paul Nagle participarão do reconhecimento para o Rali da Polônia.

RESULTADOS


RALLY DA ITÁLIA – SARDENHA


1. Tänak / Jarveoja (Ford Fiesta WRC) 3h25:15.1
2. Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) +12.3
3. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +1:07.7
4. Lappi / Ferm (Toyota Yaris WRC) +2:12.9
5. Ogier / Ingrassia (Ford Fiesta WRC) +3:25.3
6. Hänninen / Lindstrom (Toyota Yaris WRC) +3:38.5
7. Østberg / Floene (Ford Fiesta RS WRC) +6:31.8
8. Mikkelsen / Jæger (Citroën C3 WRC) +8:07.8
25. Breen / Martin (Citroën C3 WRC) +44:10.8

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS


1. Sébastien Ogier - 141 pontos
2. Thierry Neuville - 123 pontos
3. Ott Tänak - 108 pontos
4. Jari-Matti Latvala - 107 pontos
5. Dani Sordo - 70 pontos
6. Elfyn Evans - 53 pontos
7. Craig Breen - 43 pontos
8. Hayden Paddon - 33 pontos
9. Juho Hänninen - 29 pontos
10. Kris Meeke - 27 pontos
11. Esapekka Lappi - 17 pontos
12. Andreas Mikkelsen - 16 pontos
13. Mads Østberg - 12 pontos
14. Stéphane Lefebvre - 10 pontos
15. Teemu Suninen - 5 pontos


CAMPEONATO MUNDIAL DE FABRICANTES


1. M-Sport WRT - 234 pontos
2. Hyundai Motorsport - 194 pontos
3. Toyota Gazoo Racing WRT - 146 pontos
4. Citroën Total Abu Dhabi WRT - 101 pontos

Top