OBJETIVO ALCANÇADO POR CRAIG BREEN

A Citroën Total Abu Dhabi WRT conseguiu um bom resultado no Rali de Portugal,
sexta etapa do Campeonato Mundial de Rali. A dupla Craig Breen/Scott Martin finalizou o evento como a mais bem colocada da equipe, terminando em quinto lugar na classificação final.Todos os quatro Citroën C3 WRC chegaram ao final da prova.

No shakedown do Rali de Portugal, realizado na manhã de quinta-feira perto de Baltar, a cerca de 50 km do Porto, Kris Meeke/Paul Nagle foram os melhores do Citroën Total Abu Dhabi WRT, estabelecendo o quarto melhor tempo. O shakedown foi variado, composto por uma sucessão de cruzamentos e um trecho longo, terminando em um circuito de cascalho repleto de curvas.

Depois de completarem as três passagens obrigatórias, Kris Meeke/Paul Nagle voltaram para o parque de serviços de Matosinhos para alterar a configuração de seu C3 WRC. Eles saíram para mais duas passagens e terminaram com o quarto melhor tempo, a 3 décimos de segundo do ritmo dos líderes.

Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau completaram duas séries de duas passagens na etapa de 4,6 km. Em sua passagem final, eles estavam em condições de garantir um lugar entre os dez primeiros colocados quando ficaram parados em um trecho de curvas fechadas. No final, a dupla francesa estabeleceu o 12º melhor tempo.

Craig Breen/Scott Martin completaram cinco passagens. Em sua terceira tentativa, alcançaram o 13º melhor tempo, um décimo de segundo atrás de seus companheiros de equipe.

Na sua primeira prova competitiva no C3 WRC, Sheikh Khalid Al Qassimi/Chris Patterson também completaram cinco passagens. Eles progrediram em cada uma, terminando com o 16º melhor tempo.

À tarde, as tripulações foram para o pódio de Guimarães para o início cerimonial do rali. A primeira etapa foi disputada à noite no circuito de Ralicross de Lousada, com os carros permanecendo em parque fechado após a disputa, até o dia seguinte.

O rali começou na noite de quinta-feira com um estágio super especial realizado no circuito de Ralicross. Stéphane Lefebvre obteve o melhor tempo entre os pilotos Citroën Total Abu Dhabi WRT, terminando em sétimo lugar.

Na manhã de sexta-feira, o serviço no início da segunda etapa foi agitado para os mecânicos da Citroën, que descobriram um vazamento de óleo no C3 WRC de Khalid Al Qassimi. Uma vez que a conexão defeituosa foi substituída, o piloto de Abu Dhabi pôde largar, mas recebeu uma penalidade de um minuto por deixar o serviço depois do tempo permitido.

Na SS2, Kris Meeke e Craig Breen juntaram-se aos líderes. Na SS4 – a fase final da manhã –, os companheiros de equipe foram envolvidos em um empate a três pela vitória, juntamente com Ott Tänak! No final da fase matinal, Kris foi o segundo na geral, cinco décimos atrás de Latvala, enquanto Craig foi quarto, 1,4 s atrás do líder.

A manhã de Stéphane Lefebvre não foi tão boa. No SS3, ele capotou o carro depois de um mal-entendido ao ouvir a nota de andamento em uma curva rápida. Como o dano foi superficial, o francês conseguiu chegar ao fim do estágio. Apesar dos furos em dois pneus, ele conseguiu voltar ao serviço. Contudo, ficou a mais de sete minutos de seus companheiros de equipe nesse processo.

Apesar de todos os concorrentes terem escolhido cinco pneus Michelin LTX Force macios para a etapa matutina, foram escolhidos modelos diferentes para a segunda passagem. Esperando desgaste considerável dos pneus nas estradas de cascalho, os pilotos da Citroën Total Abu Dhabi optaram por ter dois tipos de pneus de reposição. Kris Meeke tinha três pneus de composto macio e três com compostos duros, enquanto Craig Breen e Stéphane Lefebvre optaram por quatro macios e dois duros.

A luta na frente não mostrou sinais de arrefecer... e Kris Meeke passou para o primeiro lugar em seu C3 WRC de número sete no final da SS5. Na etapa seguinte, porém, a liderança mudou de mãos pela sexta vez na prova. Kris caiu para quinto em geral, devido a um furo no pneu.

No SS7, amplamente esperado por ser o mais exigente, o britânico danificou parte da suspensão após um impacto contra um bloco de concreto e acabou deixando o grupo principal.

Apesar de ter um amortecedor quebrado a poucos quilômetros da SS7, Breen conseguiu segurar a quarta posição. O irlandês perdeu alguns segundos nos dois estágios super especiais de Braga, terminando a 12,9s do líder do rali, Tänak.

A escapada da pista pela manhã provocou uma falha no diferencial do carro de Stéphane Lefebvre. Mas o piloto teve uma tarde livre de erros, controlando o veículo que ficou com forte tendência a sair da frente.

O dia de Khalid Al Qassimi foi consistente com seus objetivos. Sem correr riscos na sua primeira prova no Citroën C3 WRC, o piloto de Abu Dhabi manteve-se afastado de problemas ao percorrer os estágios portugueses.

Depois de passar a maior parte da etapa de abertura nas estradas perto da fronteira espanhola, o dia dois do Rali de Portugal foi disputado a leste do Porto, nas montanhas de Cabreira. O dia mais longo do fim de semana apresentou duas corridas em um percurso composto por três estágios.

Craig Breen e Scott Martin começaram o dia em quinto lugar, depois que os comissários ajustaram o tempo de Thierry Neuville na SS7, movendo o belga para o quarto lugar. O primeiro estágio do dia foi custoso para a dupla do C3 WRC número 8: sem conhecer o percurso, eles perderam uma posição.

Nos dois testes de velocidade seguintes, Craig aproveitou-se de incidentes de corrida para subir na classificação geral. Ele chegou ao serviço de meio de caminho em quarto, 46,2 s atrás do líder.

Enquanto isso, Stéphane Lefebvre precisou lidar com a falta de tração de seu carro. À medida em que completava mais etapas, ele trabalhava nas configurações do amortecedor. Tendo se juntado às regras do Rali 2 depois do pequeno acidente do dia anterior, Kris Meeke também lutou para recuperar a sensibilidade ao comportamento do carro.

A segunda passagem nas etapas provou ser mais complicada para Craig Breen. Em Amarante 2 (37,55 km), o irlandês pagou o preço por um erro em sua escolha de pneu. Ele optou por uma mistura de pneus Michelin LTX Force macios e duros compostos, mas os traseiros se desgastaram e ele rodou, perdendo cerca de 20 segundos. Ott Tänak aproveitou para avançar à quarta posição, em 2,8 s.

Apesar de haver pouco em jogo para eles, Stéphane Lefebvre e Kris Meeke aproveitaram ao máximo as mudanças feitas durante o serviço de meia-perna para melhorar na passagem da tarde. O francês ganhou até 8 décimos por quilômetro em comparação com os líderes do estágio, enquanto o britânico melhorou suas marcas em 4 décimos.

Khalid Al Qassimi continuou o seu fim de semana de aprendizagem no Citroën C3 WRC. Adaptando o setup à medida em que completava as etapas, o piloto de Abu Dhabi desfrutou de outro dia sem erros para permanecer em 19º no quadro geral.

Disputada nas estradas em torno de Fafe, a última parte do Rali de Portugal não teve qualquer influência na classificação geral. Craig Breen e Scott Martin finalizaram o evento como a dupla mais bem colocada do Citroën Total Abu Dhabi WRT, terminando em quinto lugar. Todos os quatro Citroën C3 WRC chegaram ao final da sexta etapa da temporada.

Depois de dois longos dias, a terceira e última etapa foi mais como um sprint final, com quatro etapas curtas disputadas sem intervalo de serviço. O famoso estágio de Fafe foi realizado duas vezes, com a segunda passagem servindo como Power Stage.

As duplas da Citroën Total Abu Dhabi WRT iniciaram o dia final com metas diferentes. Craig Breen/Scott Martin procuravam manter-se entre os cinco primeiros, enquanto Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau, Khalid Al Qassimi/Chris Patterson e Kris Meeke/Paul Nagle estavam mais interessados ​​em usar os quilômetros restantes para acumular experiência e reunir dados.

Kris Meeke foi o mais rápido piloto da Citroën durante a manhã. Em particular, o piloto britânico estabeleceu o segundo melhor tempo em Montim (SS18).

Quarto na estrada, Stéphane Lefebvre teve de lidar com o cascalho solto no piso. Constantemente à procura de aderência, o jovem francês concentrou-se em manter o seu carro na rota.

Igualmente impedido por sua posição inicial, Khalid Al Qassimi causou um verdadeiro revigoramento no Power Stage. O piloto da Abu Dhabi produziu o salto mais espetacular, apenas conseguindo puxar o C3 WRC para fora da vala – e chegar à linha de chegada!

Depois deste estágio final, Craig Breen e Scott Martin conquistaram mais um quinto lugar, tal como fizeram em Monte Carlo, na Suécia e no Tour de Corse. A dupla anglo-irlandesa está na sétima posição no Campeonato Mundial de Pilotos.

 

Yves Matton, chefe da Citroën Racing Team

"Com o quinto lugar de Craig e Scott, que estavam disputando este Rali corretamente pela primeira vez, conseguimos um resultado decente. Também podemos ficar satisfeitos com nosso nível de desempenho no dia da abertura, quando tivemos duas duplas lutando pela liderança. Agora vamos voltar a nossa atenção para o próximo evento.”

 

 

Craig Breen

“Parece que eu me inscrevi para o quinto lugar na temporada! Foi mais um bom fim de semana para nós. Estávamos entre os mais rápidos na sexta-feira e haveria grande probabilidade de liderarmos a classificação geral se não tivéssemos atingido uma pedra e quebrado um amortecedor no SS7. Tivemos um pouco mais de dificuldade em combinar o ritmo com o dos carros líderes nos dois dias seguintes. Acho que havia vários fatores em jogo. Mas, principalmente, a minha falta de conhecimento dos estágios e não o fato de não estar em uma posição de partida muito boa. Vamos continuar a trabalhar e tentar fazer ainda melhor na Sardenha.”

 

 

Stéphane Lefebvre

"O resultado, obviamente, foi muito abaixo do que estávamos esperando quando chegamos aqui. Trabalhamos particularmente duro para nos preparar para este rali, mas a nossa corrida mudou de forma dramática na sexta-feira de manhã. Fizemos o nosso melhor. Nossa posição de largada certamente não nos ajudou a mostrar o que podemos fazer.”

 

 

Kris Meeke

"Terminamos o rali hoje, tendo voltado a um ritmo mais próximo do apresentado pelas equipes líderes. Parece que o nosso nível de desempenho não foi tão bom depois da primeira etapa e teremos de descobrir a razão. Vamos todos continuar trabalhando e, por meu lado, tenho que cortar esses pequenos erros."

 

 

RESULTADO FINAL PROVISÓRIO

1. Ogier / Ingrassia (Ford Fiesta WRC) 3:42:55.7
2. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +15.6
3. Sordo / Marti (Hyundai i20 WRC) 1:01.7
4. Tänak / Jarveoja (Ford Fiesta WRC) 1:30.2
5. Breen / Martin (Citroën C3 WRC) +1:57.4
6. Evans / Barritt (Ford Fiesta WRC) 3:10.6
7. Hänninen / Lindstrom (Toyota Yaris WRC) +3:48.9
8. Østberg / Floene (Ford Fiesta WRC) +5:29.7
… 13. Lefebvre / Moreau (Citroën C3 WRC) +12:02.3
… 17. Al Qassimi / Patterson (Citroën C3 WRC) +21:11.2
… 18. Meeke / Nagle (Citroën C3 WRC) +22:19.1


CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS
1. Sébastien Ogier - 128 pontos
2. Thierry Neuville - 106 pontos
3. Jari-Matti Latvala - 88 pontos
4. Ott Tänak - 83 pontos
5. Dani Sordo - 66 pontos
6. Elfyn Evans - 53 pontos
7. CRAIG BREEN - 43 pontos
8. Hayden Paddon - 33 pontos
9. KRIS MEEKE - 27 pontos
10. Juho Hänninen - 21 pontos
11. Andreas Mikkelsen - 12 pontos
12. STEPHANE LEFEBVRE - 10 pontos
13. Mads Østberg - 6 pontos
14. Teemu Suninen - 5 pontos
15. Jan Kopecky - 4 pontos


CAMPEONATO MUNDIAL DE CONSTRUTORES
1. M-Sport WRT - 199 pontos
2. Hyundai Motorsport - 173 pontos
3. Toyota Gazoo Racing WRT - 116 pontos
4. Citroën Total Abu Dhabi WRT - 87 pontos

Top