SOB CHUVA CITROËN FAZ DUAS DOBRADINHAS E PONTUA NA ESCALA MÁXIMA

MehdiBennani venceu a primeira corrida e José María “Pechito” López, a segunda. Com tal resultado na etapa da Hungria, Citroën lidera entre os fabricantes e o argentino é líder entre os pilotos.

Duas corridas, duas dobradinhas. Sob chuva, os Citroën C-Elysée WTCC proporcionaram à equipe Citroën marcar o máximo possível de pontos para o Campeonato Mundial de Fabricantes do Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC) na terceira etapa do campeonato, realizada no circuito de Hungaroring, na Hungria. As vitórias ficaram com MehdiBennani e José María López.

Uma onda de frio e chuva baixou sobre o circuito de Hungaroring no domingo – uma situação prevista no dia anterior pela meteorologia local. Tão logo chegaram ao circuito, pilotos e engenheiros passaram a trabalhar nas regulagens dos Citroën C-Elysée WTCC para as condições de piso molhado. No momento em que os carros alinharam no grid da corrida de abertura, entretanto, a chuva havia parado. Depois de duas voltas de reconhecimento, Yvan Muller e José María López optaram por colocar pneus slick em seus carros. Alguns adversários optaram por manter os pneus de chuva e houve até quem optasse por uma mistura de pneus slick na dianteira e com ranhuras atrás.

Quando as luzes se apagaram, MehdiBennani tirou partido dos pneus de chuva para assumir a liderança, à frente de Muller. Depois de poucas curvas, entretanto, o tetracampeão mundial perdeu aderência e derrapou, permitindo que dois rivais o ultrapassassem. Sem nenhuma aderência, Muller continuou a perder posições até se ver fora da zona de pontuação junto com López.

Muller e López, sem chances de marcar pontos na corrida, optaram por parar nos boxes para colocar pneus de chuva e colher informações para a corrida principal. MehdiBennani controlou a corrida e seus companheiros da equipe SébastienLoeb Racing também tiveram excelente desempenho: Tom Chilton terminou em segundo lugar e GrégoireDemoustier foi o sétimo.

As condições climáticas permaneceram praticamente inalteradas para a corrida principal. Desta vez, todos os pilotos usaram pneus de chuva. Largando da pole position, José María López fez uma largada perfeita - assim como Muller, que escalou do oitavo lugar no grid para o terceiro na primeira curva. Na segunda volta, Muller ultrapassou Rob Huff. Poucos segundos depois, o safetycar entrou na pista devido a um acidente com GrégoireDemoustier.

Quando a corrida recomeçou, López e Muller mantiveram os primeiros lugares, mas as diferenças começaram a diminuir na metade da corrida, criando a expectativa de um final emocionante. Na volta 9, Rob Huff dividiu uma freada com Muller e colidiu o francês, reassumindo o segundo lugar. A manobra, entretanto, foi considerada antidesportiva e os comissários impuseram um drive-through ao inglês. Com isso, Muller recebeu de volta o segundo lugar. Os dois pilotos da Citroën dominaram a corrida até o fim e cruzaram a linha de chegada em primeiro e segundo lugares.

Esta segunda dobradinha do final de semana permitiu à Citroën assumir a liderança do Mundial de Fabricantes com 40 pontos de vantagem sobre a marca segunda colocada. José María López, por sua vez, assumiu a liderança do campeonato com a pole position conquistada nos treinos classificatórios. E terminou a segunda corrida com 12 pontos a mais que o vice-líder. A próxima etapa do FIA WTCC acontecerá no circuito de rua de Marrakech, em Marrocos, de 6 a 8 de maio.

Yves Matton (chefe da Citroën Racing): “Este par de ‘1-2’ representa nosso melhor resultado em Hungaroring. A chuva e as condições complicadas da pista tornaram as corridas cheias de acontecimentos, com muitas ultrapassagens. Não tomamos a melhor decisão ao optar por pneus slick na corrida de abertura, mas ela parecia a melhor no grid, já que não havia previsão de voltar a chover. No fim, os pilotos privados marcaram os pontos para a Citroën. Parabéns a Mehdi e Tom, que tiraram vantagem da escolha de pneus para dar à SLR uma merecida dobradinha. Na corrida principal, ‘Pechito’ e Yvan tiveram um desempenho perfeito, mostrando que os Citroën C-Elysée WTCC são realmente os melhores carros nestas condições difíceis”.

José María López (Citroën C-Elysée nº 37): “No momento de decidir quais pneus usar na corrida de abertura, hesitamos entre várias opções. Baseei minha estratégia na dos meus rivais no campeonato. Foi um erro, mas sem maiores consequências. Minha vitória na corrida principal foi uma das mais complicadas da minha carreira. Em momento algum me senti totalmente confortável, particularmente quando fui pressionado primeiro por Yvan e depois por Rob. Obviamente, a punição imposta a Huff me deu algum espaço para respirar no final da corrida. Estou muito feliz por ter vencido nestas condições. Corrida após corrida, há novas armadilhas para evitar, e conseguimos fazer isso com sucesso nesta prova”.

Yvan Muller (Citroën C-Elysée nº 37): “Não lembro de alguma vez ter pilotado em condições de tão pouca aderência. Foi pior que gelo negro! Fiz uma ótima largada na corrida principal e estava em terceiro na primeira curva e em segundo logo depois. Estava lutando com Pechito e isso permitiu que Rob se aproximasse de mim. Fiquei furioso quando ele me bateu, porque foi a quarta vez que fui atingido por um piloto da Honda nesta temporada. Já está começando a ser demais, e a punição a ele foi totalmente justa. José abriu alguma vantagem e já era tarde para ir buscá-lo. Estou contente por ter conseguido meu primeiro pódio de 2016 e também pela equipe, que teve um grande resultado hoje!”.

 

FIA WTCC – Hungaroring – 23 e 24 de abril

Prova de abertura

1. MehdiBennani (Citroën C-Elysée WTCC)

2. Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

3. Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC)

4. Fredrik Ekblom (Volvo S60 WTCC)

5. Gabriele Tarquini (Lada Vesta WTCC)

6. Hugo Valente (Lada Vesta WTCC)

7. GrégoireDemoustier (Citroën C-Elysée WTCC)

8. John Filippi (Chevrolet RML Cruze TC1)

9. Ferenc Ficza (Honda Civic WTCC)

10. René Münnich (Chevrolet RML Cruze TC1)

13. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

14. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

Volta mais rápida: José-María López (2m09.820s)

 

Prova principal

1. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

2. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

3. Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)

4. Thed Bjork (Volvo S60 WTCC)

5. Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

6. Rob Huff (Honda Civic WTCC)

7. Tom Coronel (Chevrolet RML Cruze TC1)

8. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

2. Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

9. Hugo Valente (Lada Vesta WTCC)

10. Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)

Volta mais rápida: José-María López (2m10.774s)

 

Campeonato Mundial

Pilotos

1. José-María López: 106 pontos

2. Tiago Monteiro: 94 pts

3. Mehdi Bennani: 77 pts

4. Rob Huff: 60 pts

5. Yvan Muller: 54 pts

8. Tom Chilton: 40 pts

14. Grégoire Demoustier: 7 pts

 

Fabricantes

1. Citroën: 263 ponots

2. Honda: 223 pts

3. Lada: 133 pts

4. Polestar Volvo: 66 pts

Top