[cle1: REDIRECTION_DANS Lang:PT] [cle1: SECONDES Lang:PT]

STÉPHANE LEFEBVRE TERMINA O RALI DA POLÔNIA NO TOP 5!

Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau terminaram o Rali da Polônia na quinta colocação, assegurando o melhor resultado da Citroën Total Abu Dhabi no evento. Os três carros da equipe chegaram ao final da competição, com Andreas Mikkelsen/Anders Jaeger em nono lugar e Craig Breen/Scott Martin ocupando a 11ª posição.

O 74º Rali da Polônia começou sob sol. Mas após as voltas de reconhecimento, o tempo virou e uma tempestade durante a noite deixou as estradas encharcadas do shakedown e os estágios disputados no fim de semana. Com as novas condições do tempo e dos trajetos, as equipes da Citroën aproveitaram a seção para revisar o acerto de seus Citroën C3 WRC para rodar na lama.

Em sua primeira saída, Andreas Mikkelsen teve um pequeno problema eletrônico que o forçou a retornar ao parque de serviço. O norueguês saiu rapidamente, mas já encontrou o caminho repleto de buracos e atoleiros criados após as passagens repetidas dos carros. Mesmo diante das condições adversas, o piloto conseguiu estabelecer o tempo mais rápido entre os C3 WRC: na quarta de suas cinco passagens, ele alcançou 2:15.2. Stéphane Lefebvre registrou 2:16.0, logo à frente de Craig Breen, com o tempo de 2:16.6.

Determinada em grande parte pelo clima, a classificação no final do primeiro dia não foi exatamente a desejada pela equipe Citroën Total Abu Dhabi WRT. No entanto, o desempenho sem erros de Stéphane Lefebvre e os tempos de Andreas Mikkelsen, quando o tempo melhorou, deixaram alguns sinais genuinamente positivos.

À medida em que mais carros completavam os estágios, as condições das estradas rapidamente se deterioravam: atoleiros aumentavam e o piso ficava coberto por uma camada de lama gordurosa e escorregadia. Dos três pilotos da equipe, Stéphane Lefebvre foi quem lidou melhor com as más condições.

Em contato com seu companheiro de equipe durante a maior parte da etapa, apesar de não ter nenhum conhecimento do C3 WRC em condições úmidas, caiu de posição no SS5. O norueguês danificou a suspensão traseira esquerda do carro depois de bater em um toco de árvore quando acelerava em uma curva rápida. Ele conseguiu completar o estágio e se permanecer na corrida, mas ficou mais de dois minutos atrás do líder.

Durante o serviço do meio da etapa, os mecânicos repararam os carros de Andreas e Craig. Apesar dos esforços da equipe, os trabalhos demoraram mais do que o previsto, fazendo o irlandês sair atrasado do parque de serviço e receber uma punição de 1m10s.

Após o cancelamento do SS6 (para preservar a segurança dos espectadores), a prova continuou com os três testes de velocidade remanescentes da etapa e uma segunda passagem no estágio da Arena Mikolajki. Desta vez, as condições eram mais consistentes para todos os pilotos.

Na SS7, Andreas Mikkelsen marcou o quarto melhor tempo. Apesar de ter um pneu furado no SS9, ele teve um desempenho sólido ao longo da tarde.

Considerando que não disputou a primeira parte em plena velocidade, Craig Breen se viu abaixo do ritmo de seus rivais. Ele lutou para encontrar alguma confiança no comportamento do carro e foi forçado a adotar um ritmo controlado para evitar erros.

No final da etapa de abertura, Stéphane Lefebvre permaneceu como o melhor classificado entre os pilotos da Citroën. Reduzindo substancialmente a diferença para os líderes entre as partes da manhã e da tarde, ele completou o dia em nono lugar.

Ao longo do segundo dia do rali, os três pilotos da Citroën Total Abu Dhabi WRT conseguiram combinar velocidade e constância. Stéphane Lefebvre subiu para sétimo em geral, enquanto Andreas Mikkelsen entrou na zona de pontuação.

O dia com percurso mais longo do rali (pouco mais de 150 km) teve quatro estágios, cada um disputado duas vezes, antes e depois dos serviços no meio do dia. No final do ciclo da tarde, os concorrentes também completaram uma terceira e última passagem na Arena Mikolajki.

Com os pilotos de Prioridade 1 correndo em ordem inversa à do campeonato, Craig Breen e Andreas Mikkelsen foram os primeiros a enfrentar os estágios, enquanto Stéphane Lefebvre foi o quinto na estrada. No entanto, com a luz do sol voltando ao céu de Mazury, estava-se longe de ter certeza de que essas posições representavam uma vantagem.

Nos estágios de abertura, os pilotos dos C3 WRC encontraram rapidamente seu ritmo, lutando pelos tempos mais rápidos. Quarto mais rápido na SS13 e quinto na SS14, Stéphane Lefebvre subiu uma posição nos tempos acumulados para ocupar o oitavo lugar.

Andreas Mikkelsen acompanhou o ritmo de seu jovem companheiro de equipe: o norueguês terminou em sexto na SS11 e em quinto na SS13, e ficou muito mais feliz com a dirigibilidade de seu carro.

Confortável nos dois primeiros estágios do dia, Craig Breen sofreu nos dois seguintes, cometendo pequenos erros relacionados à mudança entre os trechos secos e os úmidos e com o fato de ele estar correndo primeiro na estrada.

Depois do serviço no meio da etapa, Stéphane Lefebvre permaneceu tão competitivo quanto na parte da manhã. Ele ficou entre os cinco primeiros no SS16, e obteve dois terceiros lugares, no SS17 e no SS18. Depois de passar para o sétimo com o abandono de Latvala, ele fechou a 15 segundos de Suninen.

Depois de terminar duas vezes entre os cinco primeiros nos estágios da tarde, Andreas Mikkelsen também ganhou algumas posições: ele passou à frente de Hänninen e subiu para o décimo lugar.

A terceira e última etapa do Rali da Polônia foi composta por dois estágios, cada um disputado duas vezes e sem período de serviço. Choveu à noite e durante a manhã, à medida em que os carros deixavam o serviço, sugerindo que as equipes seriam confrontadas com condições particularmente difíceis.

Os pilotos da Citroën estavam todos de acordo no final de Orzysz: a estrada era tão escorregadia que era impossível acelerar com total confiança.

A primeira passagem para Paprotki teve todo tipo de drama. Quando acelerou forte, Mikkelsen saiu da pista depois de frear tardiamente e perdeu o décimo lugar para Hänninen. Enquanto isso, Stéphane Lefebvre foi o terceiro mais rápido no estágio, apesar de ter atingido uma cerca e pilotado durante parte do estágio com um tronco de madeira preso à grade do radiador de seu carro.

Após o abandono de Tanak – que bateu em Paprotki –, os pilotos da Citroën ganharam uma posição no estágio Orzysz 2. Terceiro mais rápido no SS22, Andreas Mikkelsen fechou a 4s de Hänninen.

As posições finais seriam decididas no Power Stage. Ao longo dos 18,68 km do estágio, Andreas Mikkelsen bateu seu colega escandinavo por 14,2s e, assim, conquistou o nono lugar na classificação geral. Stéphane Lefebvre também marcou um bom tempo, terminando 1s atrás de seu companheiro de equipe. Ele ganhou outra posição quando Suninen perdeu tempo e terminou em quinto no final, igualando seu melhor resultado no WRC (Monte Carlo, 2016).

Depois de cair de posição com um problema mecânico na manhã de sexta-feira, Craig Breen teve uma boa recuperação para terminar em 11º lugar. Apesar de ser o primeiro na estrada para a terceira etapa, o irlandês acumulou uma experiência valiosa para os próximos ralis.

Com os três carros chegando ao final sem precisar usar as regras Rally2, a equipe técnica ficou satisfeita. O trabalho vai continuar com a preparação para o Rali da Finlândia, de 27 a 30 de julho, onde três C3 WRC serão inscritos para Kris Meeke, Craig Breen e Khalid Al Qassimi. Para o Rali da Alemanha (17 a 20 de agosto), os pilotos serão Kris Meeke, Andreas Mikkelsen e Craig Breen.

Yves Matton, chefe da Citroën Racing Team
"Nós definimos este rali como o início de uma nova fase em nossa temporada. As atualizações feitas no Citroën C3 WRC foram claramente benéficas, mesmo que o clima não nos tenha permitido mostrar isso o tempo todo. Com três carros completando todo o rali em condições normais de corrida, os engenheiros agora poderão analisar todos os dados e continuar o desenvolvimento do carro. Também estou muito satisfeito por ver Stéphane Lefebvre conseguir seu primeiro top 5 com o Citroën C3 WRC. Isso confirma seu potencial, considerando que sua experiência neste nível ainda é pequena. Bom trabalho de toda a equipe por seu comprometimento durante todo o fim de semana”.

Stéphane Lefebvre
"É um resultado que aumenta o moral de todos, depois de um começo de temporada tão difícil. Gostaria de agradecer à equipe, que nunca parou de me apoiar, e ao meu engenheiro, que me ajudou a ter o melhor rali da minha carreira até agora. Sempre que houve aderência suficiente, senti-me confiante para andar forte. Não vou competir nos próximos dois ralis, mas posso sair de férias de bom humor”!

Andreas Mikkelsen
"Os estágios foram mais agradáveis na segunda passagem porque a aderência estava melhor. Nós andamos forte e estou satisfeito por terminar o rali assim, com um bom tempo no Power Stage. Estou ansioso para testar o C3 WRC no asfalto na preparação para o Rali da Alemanha”.

Craig Breen
"Este foi um dos finais de semana mais difíceis da minha carreira e estou feliz por ter chegado ao fim. Todos nós trabalhamos duro para melhorar o carro, mas em momento algum consegui me sentir realmente confiante. Vamos fazer alguns testes antes [do Rali] da Finlândia, para que isso me ajude a me preparar bem para o rali onde conquistei meu primeiro pódio no ano passado”.


RESULTADO FINAL PROVISÓRIO
1. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) 2:40:46.1
2. Paddon / Kennard (Hyundai i20 WRC) +1:23.9
3. Ogier / Ingrassia (Ford Fiesta WRC) +2:20.8
3. Sordo / Marti (Hyundai i20 WRC) +2:47.4
5. Lefebvre / Moreau (Citroën C3 WRC) +3:11.8
6. Suninen / Markkula (Ford Fiesta WRC) +3:16.8
7. Østberg / Floene (Ford Fiesta WRC) +3:39.6
8. Evans / Barritt (Ford Fiesta WRC) +4:39.1
9. Mikkelsen / Jaeger (Citroën C3 WRC) +4:43.5
10. Hänninen / Lindstrom (Toyota Yaris WRC) +4:53.7
11. Breen / Martin (Citroën C3 WRC) +11:56.5


CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS
1. Sébastien Ogier – 160 pontos
2. Thierry Neuville – 149
3. Jari-Matti Latvala – 112
4. Ott Tanak – 108
5. Dani Sordo – 82
6. Elfyn Evans – 57
7. Hayden Paddon – 51
8. CRAIG BREEN – 43
9. Juho Hanninen – 30
10. KRIS MEEKE – 27
11. STEPHANE LEFEBVRE – 22
12. ANDREAS MIKKELSEN – 21
13. Mads Ostberg – 18
14. Esapekka Lappi – 17
15. Teemu Suninen – 13

CAMPEONATO MUNDIAL DE FABRICANTES
1. M-Sport WRT – 259
2. Hyundai Motorsport – 237
3. Toyota Gazoo Racing WRT – 156
4. Citroën Total Abu Dhabi WRT – 121

Top