WTCC: López e Citroën dominam as corridas em Nürburgring

Piloto argentino venceu as duas corridas realizadas no traçado mais desafiador da temporada: o anel norte de Nürburgring. Resultados deram a López e à Citroën Total grande vantagem na pontuação.

Raridade no FIA WTCC (Campeonato Mundial de Carros de Turismo): um mesmo piloto vencer as duas corridas do final de semana. Foi isso que aconteceu com o piloto da Citroën Total, José María López, na quinta etapa da temporada de 2016, realizada no desafiador anel norte do circuito de Nürburgring, nas montanhas Eifel, na Alemanha. Com mais de 25 km de extensão, o traçado alterna subidas, descidas e curvas de praticamente todos os tipos que se pode encontrar em um autódromo, além de pontos nos quais os carros saltam a ponto de ficar alguns segundos com as quatro rodas no ar.

Inserida na programação da famosa 24 Horas de Nürburgring, as duas corridas do WTCC foram realizadas com céu azul. Poucas horas depois, no início da prova de longa duração, uma tempestade de granizo varreu o traçado.

            Yvan Muller e José María López alinharam respectivamente em oitavo e nono lugar na corrida de abertura. Quando a corrida começou, os dois pilotos da Citroën Total abriram caminho até ficarem em quarto e quinto, atrás de Tiago Monteiro, Mehdi Bennani e Thed Björk. Bennani, também pilotando um Citroën, perdeu terreno e Björk foi obrigado a abandonar.

            Devido à longa extensão da pista, as corridas tiveram somente três voltas – o suficiente para percorrer os cerca de 75 km habituais das provas do WTCC. Monteiro, Muller e López abriram a volta final nesta ordem, cada um esperando pela última longa reta para tentar definir a vitória a seu favor. Mas Monteiro sofreu um acidente e Muller, sem condições de desviar, acertou o carro do piloto português. López, por muito pouco, conseguiu evitar o acidente e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar, à frente de outro Citroën C-Elysée WTCC – o de Tom Chilton, da equipe Sébastien Loeb Racing.

Como os carros não voltaram para o box entre as duas corridas, os mecânicos não tiveram condições de reparar o carro de Muller a tempo de participar da prova principal. López largou na pole, à frente de Norbert Michelisz, Tom Chilton e Rob Huff. Quando as luzes vermelhas se apagaram, Michelisz largou melhor e tomou a liderança de López. Mas, antes mesmo de chegarem ao Nordschleife (ou seja, nos primeiros 4,5 km de pista), López recuperou a liderança e rapidamente abriu vantagem. Ao longo das três voltas, López manteve a liderança, sempre tomando cuidado para não desgastar os pneus. Terminou à frente de Michelisz e Chilton, somando pela segunda vez o máximo de 55 pontos possíveis no final de semana.

López tem agora 69 pontos de vantagem sobre Monteiro no campeonato mundial, enquanto Yvan Muller ocupa o sexto lugar. No campeonato de fabricantes, a vantagem da Citroën na liderança é idêntica. A próxima etapa do FIA WTCC acontecerá no Moscow Raceway, em 11 e 12 de junho.

            Yves Matton, chefe da equipe Citroën Racing: “Estamos frustrados com o abandono de Yvan. Ele estava tendo um excelente fim de semana até então, mostrando melhora significativa desde o ano passado. Mas, pela enésima vez nesta temporada, a sorte não estava do seu lado, e circunstâncias fora de seu controle impediram de chega a um bom resultado. Esperamos sinceramente que as coisas vão correr a seu favor nas próximas corridas. ‘Pechito’ demonstrou grande habilidade para tirar proveito dos acontecimentos para vencer a primeira corrida e controlou muito bem a segunda, apesar de um início complicado. Com pole position, um novo recorde de pista para o WTCC e duas vitórias, ele teve um fim de semana excepcional, marcando o máximo de pontos. Foi um bom fim de semana para a Citroën, graças aos pontos conquistados por Pechito e Tom Chilton. Depois de algumas corridas se acostumando com o Citroën C-Elysée WTCC, Tom teve um grande fim de semana e andou junto com os líderes na primeira sessão de treinos livres. As coisas têm acontecido para ele e isso é um bom sinal para o resto da temporada”.

            José María López: "É muito especial para vencer as duas corridas nesta pista. Fiz isso em 2014 em Termas de Río Hondo, mas não me atrevi a sonhar com isso aqui, especialmente com 80 kg de lastro. Eu realmente não saboreei a primeira corrida, uma vez que não foi uma vitória em que saí e ganhei. Vi quando Tiago bateu a barreira de segurança e eu só tinha uma fração de segundo para reagir. Eu estou contente que Tiago e Yvan tenham saído ilesos do acidente. Na corrida principal, eu tive um bom começo, mas o de ‘Norbi’ foi ainda melhor. Fiquei surpreso ao vê-lo na minha frente. Consegui voltar à liderança e então tentei manter um bom ritmo, ao mesmo tempo em que poupava meu carro e meus pneus. Os 55 pontos que eu marquei neste fim de semana me deram um enorme impulso na classificação do campeonato. Isso significa que os outros terão de assumir riscos para voltar a se aproximar de mim".

            Yvan Muller : "A corrida de abertura estava indo muito bem. A primeira volta foi difícil porque o carro do Björk estava perdendo óleo, que manchou o meu para-brisas. Quando ele abandonou, eu subi para o segundo lugar , o que já era bom ir considerando que larguei em oitavo. Eu sabia que se eu ficasse logo atrás de Tiago Monteiro, podia usar o seu vácuo para ultrapassá-lo na longa reta final. Infelizmente, ele saiu reto quando entrava em uma curva a quase 250 km / h. Seu carro bateu na barreira de segurança e saltou de volta para o meio da pista. Freei o mais rápido que pude e as minhas rodas travaram, mas não consegui evitar a batida nele. Fiquei com medo de outro piloto bater em mim, mas felizmente tudo acabou bem e saímos ilesos".

 

Resultados

Corrida 1

1 José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

2 Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

3 Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)

4 Rob Huff (Honda Civic WTCC)

5 Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

6 Hugo Valente (Lada Vesta WTCC)

7 Gabriele Tarquini (Lada Vesta WTCC)

8 Fredrik Ekblom (Volvo S60 Polestar)

9 Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC)

10 Sabine Schmitz (Chevrolet RML Cruze TC1)

Volta mais rápida: Tom Chilton (8m47.586s)

 

Corrida 2

1 José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

2 Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)

3 Tom Chilton (Citroën C-Elysée WTCC)

4 Rob Huff (Honda Civic WTCC)

5 Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

6Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC)

7 Fredrik Ekblom (Volvo S60 Polestar)

8 Thed Björk (Volvo S60 Polestar)

9 Gabriele Tarquini (Lada Vesta WTCC)

10 Hugo Valente (Lada Vesta WTCC)

Volta mais rápida: Mehdi Bennani (8m48.463s)

 

Campeonato Mundial

Pilotos

José-María López: 193 pontos

Tiago Monteiro: 124 pts

Rob Huff: 122 pts

Norbert Michelisz: 120 pts

Mehdi Bennani: 103 pts

Yvan Muller: 83 pts

Tom Chilton: 78 pts

Nick Catsburg: 62 pts

 

Fabricantes

Citroën: 447 pontos

Honda: 378 pts

Lada: 205 pts

Volvo: 111 pts

Top