Citroën Vence no Circuito do WTCC em Moscou

Com mais uma dobradinha de Yvan Muller e José María López. Pilotos são os dois primeiros colocados da corrida de abertura da rodada dupla russa.

Citroën continua a liderar ambos os campeonatos.

A Citroën fez mais uma dobradinha no Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC). No circuito de Moscou, Yvan Muller e José María López confirmaram o que os treinos indicavam e conquistaram as duas primeiras posições na primeira prova do domingo, 7 de junho de 2015. A equipe ainda lidera com folga entre os construtores, e, entre os pilotos, o argentino López e os franceses Muller e Sébastien Loeb ocupam as três primeiras colocações. Assim como já havia acontecido em 2014, a Citroën domina esta temporada.

A primeira fila do grid da prova russa inicial era ocupada por Muller e López. O francês levou a melhor sobre o campeão de 2014; com Gabriele Tarquini e Rob Huff logo atrás deles, o pelotão dianteiro era formado somente por detentores de títulos do WTCC. O chinês Ma Qing Hua, o outro piloto da Citroën, tentava superar Chilton para obter a quinta posição. Já Loeb, tendo largado em 11º, tinha uma dura missão pela frente: o nove vezes campeão mundial de rali chegou a ser o oitavo colocado, mas foi ultrapassado por Tiago Monteiro na terceira volta. Não houve muitas mudanças depois disso, e Yvan Muller conquistou, assim, sua terceira vitória nesta temporada – já havia triunfado em Marrakech e em Nürburgring.

No grid da segunda prova, o piloto mais bem posicionado da Citroën era Ma Qing Hua, quinto colocado, e José María López, Yvan Muller e Sébastien Loeb largariam entre a nona e a 11ª posições, respectivamente. Após uma boa largada, o chinês viu-se em uma confusão na primeira curva, mas pôde completar a volta inicial em quinto lugar – estava atrás de Monteiro, Michelisz, Catsburg e Valente. Atrás do oriental estavam Huff, Tarquini, Loeb, Chilton, Muller e López. O argentino sabia que sua corrida estava arruinada por causa de uma largada queimada, o que o obrigou a cumprir um drive-through.

Com Monteiro na liderança, mais atrás as disputas aconteciam com frequência. Ma Qing Hua venceu batalha travada com o companheiro Sébastien Loeb, e Yvan Muller conseguiu superar o compatriota e companheiro, e três Citroën C-Elysée WTCCs posicionaram-se entre quinto e sétimo lugares, o que garantiu à equipe pontos importantes.

O chefe da Citroën Racing, Yves Matton, prevê mais grandes batalhas: “Este fim de semana em Moscou foi um grande espetáculo esportivo – com níveis de desempenho muito mais parelhos do que os havíamos visto anteriormente. Quando formos aos próximos circuitos e os lastros forem ajustados, veremos se isso foi um caso único ou é uma tendência. Yvan Muller teve uma etapa excelente, subiu à vice-liderança do Mundial de Pilotos e se aproximou de López. As próximas provas parecem interessantes, especialmente quando você considera Sébastien Loeb, que busca fortemente recuperação, e Ma Qing Hua, que está em franca evolução.”

Yvan Muller deixou claro: o carro da Citroën é o a ser batido. “É sempre mais fácil vencer quando você tem o melhor carro. E, neste fim de semana, o Citroën C-Elysée WTCC foi o melhor”, ressaltou. A respeito da segunda prova o francês disse ter obtido a mais alta posição possível, sexta, se for considerada a de largada, décima. “É uma longa temporada e ainda acredito em título!”

José María López reconheceu que “Yvan era o piloto mais rápido” do domingo. “Fiz uma aposta e tirei um pouco de pressão aerodinâmica, mas ainda assim não consegui pressioná-lo”, afirmou o argentino, que, apesar da segunda prova desastrada, em que queimou a largada, deixou a Rússia na liderança do campeonato.

Ma Qing Hua disse ter ficado satisfeito com os dois segundos lugares obtidos por ele, mas Sébastien Loeb não estava tão feliz assim: “Fiz um treino classificatório ruim e não podia esperar muito porque largaria em ambas as provas em 11º lugar”. Apesar disso, o francês divertiu-se: “Realmente gostei de pilotar hoje. Só que não foi sempre fácil controlar o carro, especialmente nas curvas rápidas, já que nosso acerto nos ajudava mais em seções sinuosas”.  Loeb admitiu ter, na segunda prova, preferido não atacar mais intensamente Ma Qing Hua pelo fato de eles serem companheiros de equipe. “Fui até gentil demais”, disse.

A próxima etapa, a sexta da temporada, será disputada na Eslováquia em 21 de junho.

 

Corrida 1:
1º Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
2º José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
3º Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC)
4º Rob Huff (Lada Vesta WTCC)
5º Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
6º Tom Chilton (Chevrolet RML Cruze TC1)
7º Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
8º Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)
9º Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
10º Jaap Van Lagen (Lada Vesta WTCC)
14º Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)


Corrida 2: 
1º Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC) 
2º Rob Huff (Lada Vesta WTCC) 
3º Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC) 
4º Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC) 
5º Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC) 
6º Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC) 
7º Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC) 
8º Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1) 
9º Tom Chilton (Chevrolet RML Cruze TC1) 
10º Tom Coronel (Chevrolet RML Cruze TC1) 
11º Rickard Rydell (Honda Civic WTCC) 
12º José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

 

Mundial de Pilotos:
1º José María López: 199 pontos
2º Yvan Muller: 164 pontos
3º Sébastien Loeb: 135 pontos
4º Tiago Monteiro: 102 pontos
5º Ma Qing Hua: 84 pontos

 

Mundial de Construtores:
1º Citroën: 434 pontos
2º Honda: 318 pontos
3º Lada: 125 pontos

Top