“PECHITO” LÓPEZ VENCE PELA SÉTIMA VEZ NO WTCC

Piloto da Citroën Total vence a primeira prova do Campeonato Mundial de Turismo e, mesmo ficando fora dos dez primeiros colocados na segunda, amplia vantagem na pontuação.

Resultados da etapa de Motegi fazem López, Yvan Muller e Sébastien Loeb, todos da Citroën, serem os únicos pilotos com chances de chegar ao título da temporada. 

O argentino José María “Pechito” López deu mais um passo para a conquista do bicampeonato do WTCC, o Campeonato Mundial de Carros de Turismo da FIA. Ele obteve a sétima vitória da temporada na primeira prova da rodada dupla realizada no autódromo de Motegi, no Japão. E, mesmo sem terminar entre os dez primeiros colocados na segunda (vencida pelo português Tiago Monteiro), ampliou sua vantagem no campeonato. Com os resultados do final de semana, a luta pelo título nas três provas restantes da temporada será restrita a López, Yvan Muller e Sébastien Loeb – todos da Citroën.

Apesar das previsões de chuva e do céu encoberto, a primeira corrida aconteceu com pista seca. Na largada, José María López ultrapassou o pole-position Norbert Michelisz na primeira curva, enquanto Sébastien Loeb, terceiro no grid, perdeu duas posições ao se ver “encaixotado” no lado externo da curva e foi ultrapassado por Gabriele Tarquini e Yvan Muller, que alinhou na quarta fila e largou como uma bola de canhão.

Até o final da prova, Loeb ainda teve uma forte disputa com Ma Qing Hua. Os dois Citroën C-Elysée WTCC ficaram lado a lado durante algumas curvas antes de o chinês conseguir a ultrapassagem. A quatro voltas do final, Hua fez uma ultrapassagem sensacional sobre Muller e assumiu o 4º lugar. Loeb também ganhou a posição do tetracampeão do WTCC. A partir daí, não aconteceram mais mudanças importantes e López obteve a bandeirada de sua sétima vitória em 2015. 

Com os dez primeiros colocados da corrida 1 largando em ordem invertida, conforme prevê o regulamento, a segunda corrida prometia ser mais complicada para a equipe Citroën. Algumas gotas de chuva caíram durante o intervalo, mas não foram suficientes para molhar a pista e todos os pilotos optaram por correr com pneus slick. Na primeira curva ocorreram vários incidentes: López foi atingido por trás e não pôde evitar uma colisão com Loeb. O vencedor da corrida 1 foi forçado a abandonar com o pneu dianteiro esquerdo furado. Yvan Muller, empurrado por Tarquini, colidiu com Hugo Valente, mas mesmo assim conseguiu pular para terceiro, enquanto Hua e Loeb fecharam a primeira volta em quinto e sétimo lugares, respectivamente. 

Hua passou para quarto ao ganhar a posição de Tarquini, mas levou uma batida do italiano e caiu para oitavo. Depois da corrida, Tarquini foi punido com 30 segundos pela manobra. Muller acelerou forte para tentar ganhar o segundo lugar de Valente, mas seu capô, danificado na colisão da primeira curva, voou para fora do carro e ele foi chamado aos boxes por medida de segurança. 

A corrida permaneceu emocionante até a volta final, graças à batalha épica entre Rob Huff, Sébastien Loeb e Gabriele Tarquini. Apesar de lançar incontáveis ataques, Loeb não teve como passar Huff. Tarquini tirou vantagem disso para passar o campeão mundial de rali, mas Loeb recuperou sua posição pouco antes da bandeirada final. 

A equipe Citroën marcou pontos suficientes para manter uma sólida posição no Campeonato Mundial. Se a vantagem não diminuir mais que 37 pontos na próxima etapa, dia 27 de setembro em Xangai (Chia), a Citroën assegurará seu segundo título mundial consecutivo em dois anos de participação no WTCC.

Depois da corrida, Xavier Mestelan, chefe da Citroën Racing, declarou: “Apesar de carregar 60 quilos de lastro, o que é um handicap grande em um circuito como este, conseguimos um bom desempenho. Primeiro, devo prestar tributo a Pechito López por sua vitória. Ele deu uma ótima largada e seguiu com uma corrida perfeita. As coisas não correram tão bem para ele na corrida 2, mas isso às vezes acontece quando você está na disputa. Sébastien Loeb, Ma Qing Hua e Yvan Muller também foram bem e acho que o público presente aqui em Motegi viu duas corridas cheias de entretenimento! A Citroën agora está na posição ideal para assegurar outro título mundial. Esta será nossa ambição na próxima etapa, na China”. 

López, apesar do abandono na segunda corrida, considerou a etapa japonesa muito boa para si: “Fiz uma ótima largada na corrida 1 e consegui ultrapassar Michelisz antes da primeira curva. Pensei que seria mais difícil mantê-lo atrás, pois nosso lastro de 60 quilos foi uma desvantagem real neste circuito. Mas, depois da curva, consegui abrir distância e vencer. Na corrida 2, outro piloto me acertou e eu não pude evitar atingir Seb. Lamento muito por isso, mas felizmente não arruinou totalmente sua corrida. Como Yvan não conseguiu nada melhor que eu, a diferença entre nós aumentou. Isso significa que eu posso ir para as próximas corridas me sentindo confiante, mas certamente não vou me  descuidar”. 

Sébastien Loeb: “Fiz uma escolha errada na largada da corrida 1, mas fiquei ‘congestionado’ e perdi duas posições... Me aproximei de Yvan nas últimas voltas e ele cometeu um pequeno erro, mas não pude aproveitar isso. A corrida 2 foi decidida na largada, quando Pechito bateu em mim e permitiu que Huff e Lapierre me ultrapassassem. A batalha com Gabriele foi realmente emocionante. Felizmente pude tirar o quarto lugar dele na última curva!”. 

Ma Qing Hua: “Pude levar a melhor sobre Seb e Yvan na corrida 1. Na corrida 2, Tarquini literalmente me empurrou para fora e isso arruinou minha corrida. Sem aquele incidente, acho que eu poderia lutar por um lugar no pódio. Agora estou aguardando a próxima etapa em Shanghai, minha cidade!” 

Yvan Muller: “Não foi um bom final de semana para mim. Eu não estava totalmente satisfeito com o carro, mas tentei o melhor que tive chance de fazer. Fiz duas boas largadas, particularmente na corrida 2. Mas a colisão danificou meu escape e perdi potência. Depois, o capô se soltou e pôs fim às minhas esperanças. De outra maneira, um lugar no pódio poderia estar nas cartas”. 

RESUTADOS

Corrida 1

1. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)

2. Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)

3. Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC)

4. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)

5. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

6. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)

7. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

8. Rob Huff (Lada Vesta)

9. Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)

10. Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1)

Fastest lap: Gabriele Tarquini (1:57.136)

 

Corrida 2

1. Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)

2. Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1)

3. Rob Huff (Lada Vesta)

4. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)

5. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)

6. Tom Chilton (Chevrolet RML Cruze TC1)

7. Tom Coronel (Chevrolet RML Cruze TC1)

8. Nicolas Lapierre (Lada Vesta)

9. Stefano D’Aste (Chevrolet RML Cruze TC1)

10. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)

Fastest lap: Tiago Monteiro (1:57.513)

 

Campeonato Mundial - pilotos

1. José-María López: 351 pontos

2. Yvan Muller: 277 pts

3. Sébastien Loeb: 253 pts

4. Ma Qing Hua: 169 pts

5. Norbert Michelisz: 164 pts

6. Gabriele Tarquini: 153 pts

7. Tiago Monteiro: 151 pts

8. Hugo Valente: 94 pts

 

Campeonato Mundial – fabricantes

1. Citroën: 787

2. Honda: 560

3. Lada: 270

 

Top